iniciar sessão

Notícias

Honda PCX125 2018

O estilo da popular scooter PCX125 foi totalmente renovado para 2018, com novos contornos naturais intercalados nas linhas de design fluidas e tradicionais da PCX. Este modelo também recebe um novo quadro duplex tipo berço de tubos de aço, novas jantes e pneus, e uma suspensão traseira melhorada. Agora, os travões têm ABS e o motor produz mais potência mantendo a excelente eficiência de consumos.

 

1. Introdução

A PCX125 é uma das histórias de maior sucesso da gama de veículos de duas rodas da Honda, com vendas acumuladas superiores a 140.000 unidades na Europa, desde a sua chegada em 2010. O sucesso deste modelo deve-se a uma fórmula que a Honda tem vindo a aperfeiçoar já há vários anos: um design forte e moderno que confere a este modelo um estilo urbano e consciente das necessidades do utilizador e dimensões compactas que lhe permitem estar sempre à frente do trânsito nas cidades e estacionar com uma facilidade incrível.

A posição de condução, o espaço de arrumação por baixo do banco, onde cabe um capacete integral, a sua elevada qualidade geral de construção e o conforto geral são outras das características que tornam a PXC um modelo tão popular entre quem procura uma scooter. E, convém não esquecer que a fantástica relação preço/qualidade – no momento da compra e também nos custos de manutenção – é mais um factor que ajuda a sublinhar a imensa popularidade da PCX.

Em 2010, a PCX foi o primeiro modelo de duas rodas, na Europa, a estar equipado com a tenologia Idling Stop de paragem do motor ao ralenti; dois anos depois, tornou-se a primeira scooter na Europa a estar equipada com o motor Honda "enhanced Smart Power" (eSP) de elevadíssima eficiência. Em 2016, este modelo recebeu homologação EURO4 e, agora para 2018, e para se poder manter à frente da concorrência, a PCX125 foi totalmente renovada em termos de design, para além de um quadro novo e de um motor ainda mais potente.

 

 

2. Generalidades do modelo

O "look" atraente sempre foi um dos pontos fortes da PCX125 e para 2018, as actualizações em termos de contornos naturais e subtis dão uma substância ainda maior ao seu estilo tradicional fluido. Mas as actualizações não só de aparência, também são funcionais: mais liberdade para o condutor se movimentar, maior capacidade de arrumação debaixo do banco e instrumentação nítida com iluminação de LEDs, complementando a iluminação também de LEDs à frente e atrás.

O novo quadro duplex tipo berço de tubos de aço mantém a agilidade típica da PCX na confusão do trânsito citadino e permite melhorar a sua maneabilidade; as novas jantes reduzem o peso do conjunto e montam agora pneus mais largos. Os amortecedores possuem molas de tripla constante e o seu curso é também maior.

Mantendo a mesma eficiência de consumo de combustível do modelo anterior, o motor debita agora mais potência de pico graças à nova caixa do filtro do ar e também às novas alterações na admissão e no escape, mas sem nunca sacrificar a gama de baixa rotação.

 

 

3. Características principais

3.1 Estilo e Equipamento

 

  • O novo estilo revela as curvas naturais da PCX no seu estilo fluido
  • Forte identidade visual graças ao novo farol de luzes de presença de LEDs
  • Nova instrumentação "smart" e de fácil leitura, com iluminação por LEDs

 

O "corpo" da PCX125 sempre foi uma das suas características específicas de design – graças ao seu carácter de linhas fortes e ao "bloco" mono cor – que formam um todo que flui da frente para a traseira.

Esta nova PCX125 expande este tema de design e emprega novos contornos naturais de linhas curvas que variam continuamente, conferindo-lhe uma afirmação visual muito forte e de elevada qualidade. Mais uma vez, as superfícies maiores são suaves e estão pintadas numa na cor única, fazendo a ligação entre a frente e a traseira sem interrupções; toda a scooter apresenta agora um estilo muito mais integrado.

Outros detalhes deste novo design são a tampa do motor e a admissão para a caixa do filtro do ar, agora de estilo conjunto e de componentes integrados. Com acabamento em prata metalizado, a tampa do motor realça a robustez mecânica e sólida da unidade motriz; por cima, encontramos uma tampa preta – que incorpora a entrada para a caixa do filtro do ar – de formato elegante, com uma mistura de linhas firmes e suaves.

À frente, a PCX125 mostra também toda a sua forte identidade; os faróis e a faixa fina de luzes de presença têm inclinação ascendente e os piscas estão integrados de forma discreta nos bordos superiores da carenagem frontal; todas estas luzes na parte dianteira da scooter são de LEDs. A mudança entre máximos e médios dos faróis é suave e confere um aspecto de subtileza à nova face da scooter. O conjunto formado pelo farolim traseiro e pelos piscas de direcção é esguio e também é de LEDs; o seu design maior, de dois níveis, também facilita a visibilidade de quem vem atrás.

A visão do condutor para o painel de instrumentos foi agora melhorada – a utilização de elementos pretos com molduras cromadas no guiador confere um toque premium à scooter, tal como os pesos cónicos cromados nos punhos. O grande compartimento na carenagem do lado esquerdo tem capacidade para uma garrafa de água ou uma lata de bebida e, agora, possui uma tampa alargada (em comparação com o design anterior) que permite ao condutor alcançar melhor o que está dentro do compartimento. Também podemos encontrar aqui uma tomada de 12 V.

A altura do banco aumentou 4 mm, para 764 mm mas, independentemente disto, a scooter mantém-se muito fácil de conduzir, com apenas 540 mm com os pés no estrado; o novo design dos elementos permitiu avançar o próprio estrado, dando assim mais espaço para pernas e pés. O banco e a tampa do depósito de combustível abrem por acção de botões de um toque (o próprio banco é accionado por mola, mantendo-se "em cima" quando aberto) e a ignição tem um sistema de tampa que oferece maior segurança anti-roubo.

A capacidade interna do compartimento de arrumação debaixo do banco aumentou 1 litro e tem agora 28 l, mas sem necessidade de aumentar a largura da scooter, albergando facilmente um capacete integral. O manual de instruções da scooter e o kit de ferramentas estão agora localizados na parte de baixo do banco.

O novo design do painel de instrumentos oferece todas as informações de forma ordenada e consistente num formato de fácil leitura. O painel LCD negativo inclui informações de velocidade, conta-quilómetros totalizador e conta-quilómetros parcial e indicadores de nível do combustível, consumo e sistema Idling Stop de paragem do motor ao ralenti.

A PCX125 de 2018 vai estar disponível em quatro opções de cor:

Branco - Pearl Cool White

Preto - Pearl Nightstar Black

Cinza Mate - Matt Carbonium Grey Metallic

Vermelho - Pearl Splendor Red

 

3.2. Ciclística

 

  • Novo quadro duplex em aço
  • Amortecedores traseiros em posição mais recuada e curso maior
  • Jantes mais leves de 8 raios em vez de 5
  • Pneus mais largos para melhor maneabilidade e maior economia

 

A PCX125 de 2018 tem um novo chassis; o quadro anterior tipo berço foi agora substituído por um quadro duplex tipo berço integralmente em aço.

Este novo quadro permite melhorar a maneabilidade e a sensibilidade da PCX, mas sem perder nenhuma das suas capacidades de "furar" o trânsito da cidade, capacidades essas que estão entre o que tornou esta scooter muito famosa, para além da fenomenal facilidade de utilização e da posição de condição muito descontraída. Por outro lado (e uma novidade absoluta numa scooter Honda), a estrutura de aço usada para suportar a carenagem principal foi agora substituída por um suporte em plástico que, em conjunto com o novo quadro, permitiu poupar 2,4 kg no peso, ajudando ainda mais a agilidade.

A distância ente eixos é 2 mm mais curta, 1.313 mm mas a geometria da direcção permanece inalterada, com 27° de ângulo na coluna da direcção e 86 mm de eixo de arraste (trail). O peso em ordem de marcha é de apenas 130 kg. A roda dianteira e a roda traseira são mais leves e usam jantes mais finas de 8 raios (em vez de 5).

À frente, o cubo da roda é oco; isto pesa menos 7% (0,2 kg), enquanto atrás a poupança é de 11% (menos 0,5 kg). Os pneus são mais largos, 100/80-14 à frente e 120/70-14 atrás (antes, 90/90-14 e 100/90-14, respectivamente) o que, em combinação com as novas jantes, assegura uma maneabilidade mais leve e contribui para a redução dos consumos, graças à menor deflexão dos pneus.

A forquilha dianteira de 31 mm, com o seu curso de eixo de 89 mm permaneceu inalterada, mas os amortecedores traseiros foram recolocados no quadro, estando agora mais para trás; as suas molas têm constante tripla (em vez de dupla) permitindo uma condução é mais suave, seja nas irregularidades das estradas da cidade ou nas vias rápidas

O sistema travagem é assegurado por um disco de 220mm na frente e tambor de 130mm na traseira. O ABS de um canal actua ao travão dianteiro.

 

3.3. Motor

 

  • Mais potência de pico sem perda de binário a baixa rotação
  • Admissão e escape de novo design oferece ganhos a alta rotação
  • Consumo com autonomia superior a 400 km por depósito

 

O motor eSP SOHC de 125 cm³, duas válvulas e arrefecimento por líquido da PCX125 é uma unidade compacta e de alta durabilidade, com excelentes performances nos arranques, funcionamento muito suave e emissões reduzidas de CO2

Nesta fase do seu desenvolvimento, o objectivo era obter mais potência a alta rotação e melhorar as performances na gama de alta velocidade – mas sem perdas de binário a baixa rotação. Agora, o pico de potência aumentou 0,3 kW, para 8,99 kW às 8.500 rpm, com pico de binário de 11,8 N·m a aparecer às 5.000 rpm.

Para se conseguirem estes ganhos, a caixa do filtro do ar tem agora mais 1 litro de volume em relação ao design anterior (isto foi conseguido pelo deslocamento para trás dos amortecedores traseiros). A admissão está posicionada à esquerda e as revisões ao nível da localização e do perfil dos componentes internos permitiu encontrar o trajecto de admissão o mais suave possível.

Com mais 2 mm, agora 26, o diâmetro do corpo do acelerador também recebe mais ar; a parte interna do escape foi optimizada para melhorar os fluxos gasosos e possui um catalisador de três vias de maiores dimensões.

O radiador compacto – integrado na parte exterior do cárter direito do motor – tem um novo resguardo com maior volume nas duas aberturas de escape, para melhorar a transmissão de ar quente do motor. Com esta melhoria, a ventoinha de arrefecimento pode agora ser menor – menos 7 mm, para 125 mm de diâmetro e com pás de formas revistas – e oferece um arrefecimento altamente eficiente, o que dispensa a necessidade de montar um radiador maior para lidar com o calor extra gerado pela maior potência do motor.

O cárter esquerdo também foi redesenhado, tal como as polias primária e secundária da transmissão de variação contínua V-Matic, que agora são maiores e oferecem relações de transmissão mais alargadas. Estas alterações permitem manter as excelentes acelerações na gama de baixa rotação (em comparação com o modelo anterior) e oferecer acelerações mais lineares – e mais fortes também – nas gamas de média e alta rotação. Este sistema também possui menos atrito na correia de transmissão, o que contribui para a eficiência de combustível com consumos de 2,1 l/100 km (47,6 km/litro) (sem Idling Stop e em modo WMTC). Isto resulta numa autonomia superior a 400 km por cada depósito de 8,0 litros.

O sistema seleccionável Idling Stop de paragem, do motor ao ralenti faz precisamente isso, parar o motor quando a sua rotação fica durante três segundos ao ralenti, depois de estar a funcionar normalmente; assim que se roda o acelerador, o motor arranca instantaneamente. A sua utilização é muito suave e fácil, graças ao alternador/motor de arranque e ao mecanismo de retorno da cambota que recoloca em posição antes da admissão e ao mecanismo de descompressão que anula a resistência ao arranque provocada pela própria compressão do motor.

O sistema Idling Stop consegue "ler" o estado de carga da bateria e desactiva-se automaticamente para evitar descarregá-la em demasia. A bateria é uma unidade YTZ8V de longa duração.

O alternador e o motor de arranque são uma só unidade sem escovas e de controlo electrónico; este componente integrado está montado directamente na extremidade da cambota, servindo estes dois propósitos: carregar a bateria e colocar o motor a trabalhar. Para esta última função, o accionamento é directo, eliminando-se assim ruídos com o engrenamento de dentes dos carretos.

A disposição do motor contribui bastante para a sua fantástica economia e excelentes performances; esta unidade inclui uma enorme diversidade de tecnologias de redução do atrito interno. O cilindro é descentrado, algo que também contribui para a redução do atrito entre o pistão e a parede do cilindro, transmitindo as forças da combustão de forma muito mais eficiente. A câmara de combustão compacta e o ponto de ignição optimizado combinam-se com a alta eficiência de arrefecimento dentro da câmara, oferecendo maior resistência à detonação do combustível. O diâmetro e o curso são de 52,4 x 57,9 mm e a relação de compressão é de 11,0 : 1.

A camisa "espinhada" de ferro fundido – com micro-extensões na superfície – controla a distorção no diâmetro interior do cilindro. Este design baixa a tensão nos segmentos e reduz o atrito. O veio dos balanceiros tem rolamentos de agulha do tipo grade e os roletes, mais pequenos e mais leves, trabalham em conjunto com o perfil da árvore de cames e a força das molas das válvulas.

 

 

4. Acessórios

 

A PCX125 de 2018 vai estar disponível com uma gama completa de acessórios genuínos, incluindo um pára-brisas, uma top case de 35 litros, uma base para a top case, um cadeado em U, punhos aquecidos e uma capa de exteriores para cobrir a scooter.

 

 

5. Especificações técnicas

 

MOTOR

Tipo

Monocilíndrico, 4 tempos, SOHC, 2 válvulas, refrigerado por líquido

Cilindrada

125 cm³

Diâmetro x Curso

52,4 x 57,9 mm

Relação de compressão

11 : 1

Potência máxima

9,0 kW (12,4CV) às 8.500 rpm

Binário máximo

11,8 N·m às 5.000 rpm

Capacidade de óleo

0,9 Litros

SISTEMA DE ALIMENTAÇÂO DE COMBUSTÍVEL

Alimentação

Injecção electrónica PGM-FI

Capacidade do depósito de combustível

8,0 litros

Consumos

2,1 l/100 km (47,6 km/l) (sem Idling Stop) (em modo WMTC)

SISTEMA ELÉCTRICO

Motor de arranque

Eléctrico

Capacidade da bateria

12 V/7 AH (10H)

Potência do alternador

255 W

TRANSMISSÃO

Tipo de embraiagem

Embraiagem automática, centrífuga, a seco

Tipo de caixa

V-Matic

Relação de transmissão final

10,65

QUADRO

Tipo

Duplex de tubos de aço

CICLÍSTICA

 

Dimensões (C x L x A)

1.923 x 745 x 1.107 mm

Distância entre eixos

1.313 mm

Ângulo da coluna da direcção

27°

Eixo de arraste (trail)

86 mm

Altura do banco

764 mm

Altura ao Solo

137 mm

Peso em ordem de marcha

130 kg

SUSPENSÃO

Dianteiro

Forquilha telescópica de 31 mm de diâmetro e 89 mm de deslocamento do eixo

Traseiro

Duplo amortecedor com braço oscilante em alumínio, 84 mm de deslocamento do eixo

JANTES

Dianteiro

Alumínio fundido, 8 raios

Traseiro

Alumínio fundido, 8 raios

Dimensão da Jante Dianteira

14M/C x MT2,15

Dimensão da Jante Traseira

14M/C x MT3,50

Pneu Dianteiro

100/80-14M/C (48P)

Pneu Traseiro

120/70-14M/C (61P)

TRAVÕES

Dianteiro

Hidráulico, disco de 220 mm com pinça combinada de 2 êmbolos e ABS

Traseiro

Tambor de 130 mm

INSTRUMENTOS E SISTEMA ELÉCTRICO

Farol

LEDs

Farolim

LEDs

Todas as especificações são provisórias e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

# Queira notar que os valores apresentados foram obtidos pela Honda segundo condições de teste normalizadas prescritas pelo WMTC (World Motorcycle Test Cycle – Ciclo de Testes Mundial para Motos). Estes testes foram realizados durante a condução em estrada com uma versão base da moto, apenas com o condutor e sem equipamentos adicionais. Os valores reais de consumo podem variar consoante a forma de condução, a manutenção realizada ao veículo, as condições atmosféricas e da estrada, a pressão dos pneus, a presença de acessórios e/ou de carga, do peso do condutor e do passageiro e outros factores.

 

 

Galeria

 

Best gambling websites website