iniciar sessão

Ensaios

Honda CTX 1300

  • Escrito por Pedro Frutuoso
  • Publicado em Ensaios
  • Visualizações: 1576

Honda CTX 1300

Foi uma das últimas surpresas anunciadas pela Honda para gama 2014, e certamente surpreendeu muita gente que não esperava uma "mini" Goldwing F6B.
De "mini" não tem nada, já que é uma moto imponente e pesada com quase 340 quilos de peso. O nome CTX deriva de "Comfort Technology eXperience", a nova série da Honda que aposta em modelos confortáveis e bem equipados tecnologicamente.

A primeira impressão é de estranheza, um design muito arrojado e atrevido. A cor da versão que nos foi disponibilizada, "Candy Prominence Red" ajuda a destacar ainda mais a montada. Quando nos sentamos damos conta da posição de condução relaxada, com os pés para a frente e o seu guiador largo. O assento é baixo e largo, mas bastante confortável também.

Ao toque do botão de arranque, e depois do ecrã LCD mostrar o logótipo da Honda, o motor V4 de 1300 cm3 acorda com uma melodia muito própria. Os escapes foram trabalhados de forma a optimizar o cantar deste motor "roubado" à Pan European.
Nesta configuração o motor debita apenas 78 cavalos às 6000 rotações por minuto, porém o binário máximo chega aos 110 Nm logo às 4000 RPMs. A caixa de velocidades instalada é de 5 velocidades e entrega a potência à roda traseira através de um veio de transmissão.

No que toca ao equipamento existem algumas curiosidades, como os faróis totalmente em LED ou o sistema que desliga os piscas assim que terminamos a nossa curva. Existe também um rádio bluetooth capaz de ler as músicas do nosso telemóvel. Podemos até controlá-las através dos botões na consola e ver as informações do ficheiro de música no ecrã LCD nos manómetros.
Em Portugal todas as CTX 1300 vêm equipadas com ABS e controlo de tracção de série, este último desligável com um toque no botão.

Em andamento a CTX 1300 é surpreendentemente ágil e dinâmica, fruto do baixo centro de gravidade e uma excelente distribuição de pesos.
Mas é no trânsito que as coisas se complicam. Os espelhos estão à altura dos espelhos da maioria dos carros e são bastante largos, além de não rebaterem. Mas também não é uma moto pensada para um ambiente citadino, até no Inverno o V4 produz demasiado calor para as pernas em baixa velocidade.

No que toca à arrumação e bagagem, a Honda CTX 1300 vem equipada com duas malas laterais e dois minúsculos espaços de arrumação entre o depósito e os manómetros. As malas são aparafusadas o que poderá ser uma vantagem no que toca a furtos, mas um inconveniente na sua praticabilidade. No espaço de arrumação do lado direito existe uma porta USB, que permite a leitura de ficheiros MP3 ou o carregamento do telemóvel.

As suspensões são eficientes e dinâmicas, especialmente a forquilha invertida montada à frente, que em conjunto com a roda de 18" absorve bem as irregularidades do terreno e as travagens mais fortes. No conjunto traseiro temos dois amortecedores com regulação da pré-carga da mola que agarram um braço oscilante em alumínio onde encaixa uma enorme roda com um pneu 200/50-R17.

O depósito leva 19,5 litros de gasolina 95, que com o nosso consumo de 8,7 l/100 deu para pouco mais de 200 quilómetros de autonomia. No entanto, e em passeio, é possível conseguir consumos pouco acima dos 6 l/100 e quase 300 quilómetros de autonomia.

No geral a Honda CTX 1300 é uma excelente turística, óptima para rodar calmamente junto ao mar. É confortável, imponente e ninguém lhe fica indiferente. Onde quer que paremos a moto, alguém aparecerá a fazer perguntas e mostrar curiosidade.

 

 

Pontos positivos Pontos negativos
Exclusividade
Motor
Facilidade de utilização
Preço
Posição dos espelhos
Malas fixas

 

Best gambling websites website